Salvaçao -1 capitulo

15:17

Oi gente!!!pra começar o ano muio bem minha primeira postagem vai ser uma fic(historia baseada em outra)eu venho escrevendo ela desde do ano passado,esse vai ser o 1 capitulo,se gostarem ou odiarem comentem:
Mais uma coisa essa fic se passa em 1922.


Salvação-I


 
Era apenas mais uma noite fria em Columbus, exceto para Esme, ´´será hoje, não pode passar disso, é minha única chance de ser feliz´´, repetia ela para si mesma, já fazia uma semana desde que ela descobrira que estava grávida,ela não podia estar mais feliz se não fosse o fato de que esse bebe ter sido gerado de um estupro de seu próprio marido,desde que se casaram Charles demonstrou que não era quem aparentava ser,em publico era um homem bom,respeitador que tratava as mulheres bem sempre pregando que o casamento é uma união por amor e respeito,mas em casa não era bem assim,ele batia e abusava de Esme em Milwaukee,já era tarde Charles dormia no quarto quando ela pegou as malas já prontas e saiu de casa em direçao a estação de trem...

Passaram-se três meses depois de sua fuga, ela vivia em paz com seu primo vendo sua barriga crescer junto do amor que ela nutria pelo seu bebe,ate um dia daquele telefonema,ela estava sentada na varanda em uma cadeira de balanço grande de madeira,seu primo correu para atender:
-Alo?
-James, aqui são seus tios de Columbus
-Oi tios-falou ele um pouco apreensivo, o que despertou a atenção de Esme
-Por favor, não minta para nos, Esme esta ai?
-Não, mas porque ela estaria aqui - nessa hora Esme já sabia do que se tratava a conversa e estava mais que aflita
-Então veremos isso amanha quando chegarmos ai, passar bem James
Ele desligou o telefone e olhou pra ela assustado:
-Eles sabem que você esta aqui e virão amanha
-Ai meu Deus James, o que vou fazer não tenho pra onde ir
-Tem uma cidadezinha no norte, Ashland, vá para La, nunca vão lhe achar
-Mas eu não tenho dinheiro,onde vou viver,do que vou viver
-Diga que é uma das viúvas da guerra,eles lhe darão abrigo,vou lhe dar uma pequena quantia em dinheiro,procure um emprego quando chegar la,agora vá logo você não tem muito tempo.
Mais uma fuga,mais um recomeço,talvez ,ela pensou, não fosse tão ruim assim,talvez Ashland fosse a cidade onde ela finalmente poderia ser feliz...

...Não,não,não podia ser depois de sofrer tanto isso não podia esta acontecendo com ela,Esme chorava aos prantos,desesperada,desde que ela tinha ido embora da casa de seu primo as coisas pareceram estar finalmente bem para ela,o plano de se fingir de viuvá deu certo,ela havia conseguido um emprego de professora como sempre sonhou,seu bebe nascera forte e saudável,ate aquela tarde,ele não parava de chorar ,fome não era,fralda também não,ela pensava que era só uma cólica então decidiu leva-lo ao hospital,chegando la veio a noticia:
-Seu bebe esta com infecção pulmonar Sra.Platt_disse o medico sem nenhum tipo de emoção.
-Como assim¿,eu tenho cuidado tão bem dele-ela estava desesperada.
-Desculpe Sra.,mas não há nada que eu possa fazer,infelizmente a infecção já esta avançada,seu filho pode morrer a qualquer hora.
Esme estava desesperada nessas hora as lágrimas já escorriam pelo seu lindo rosto,ela pegou seu bebe no colo e foi em direçao a casa,não demorou uma semana e ele não aguentou morreu com apenas poucos meses de vida.Não restava mais nada para ela,todas suas chances de ser feliz falharam,então um pensamento lhe passou pela cabeça,nunca ninguém se importou com ela de verdade,nem mesmo seus pais, então se ela morresse ninguém iria sentir sua falta,Esme sabia que a poucos quilómetros da saída de Ashaland havia um penhasco,poucos se atreviam-se a chegar perto dali pois muitos acidentes aconteceram naquele local, mortes terríveis que nem ao menos o corpo foi encontrado,era tarde,passava da meia noite ,ela caminhou ate la apenas de camisola ,desde a morte de seu bebe ela não se arrumava mais,a noite fez ela lembrar de quando fugiu da casa do marido,quando ainda tinha esperanças, agora todas se foram,ela se aproximou do penhasco, olhou para baixo, o mar revolto em baixo fazia um vento frio vir em sua direçao,havia rochas pontudas que podiam ser vistas la de cima,então o medo apertou seu coração,´´vamos não seja covarde basta pular,você nunca conseguiu fazer nada direito,pelo menos tente fazer isso´´,ela dizia pra se mesma,respirou fundo,fechou os olhos,e pulou,a força da agua doeu um pouco no seu corpo,depois disso não sentiu mas nada,seu oxigénio havia acabado...

You Might Also Like

6 comentários

  1. como eu ja tinha dito arrazou na fic
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Olha, vc escreve perfeitamente bem! Gostei muito do texto e do tema do blog tbm.
    Obg pelo comentário no meu blog!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Adorei, principalmente o novo estilo do seu blog! Obrigada por todos os comentários no meu blog!

    ResponderExcluir
  4. sou eu que tem que agredecer por vc seguir e comentar meu blog:D,bjs linda

    ResponderExcluir