Ovelha branca

19:48


Eu já li quase todos os livros que estabeleci pra esse ano e mesmo assim não estou bem,  na verdade me propus mais livros mesmo sem terminar os da lista. A vida chegou ao inevitável ponto que se torna uma piada, isso sempre chega seja aos 30 anos ou aos 70, comigo chegou aos 18. Essa sou eu, uma piada. Uma piada bem sem graça mesmo que nem chegou a ser concluída naquela conversa de bar porque o narrador desistiu de contar ao ver que ninguém lhe dava atenção pois todos ali sabiam que o final era previsível e sem graça. 
O telefone toca agora incansavelmente, seu barulho soa pela casa vazia de forma ensurdecedora  e alheio ao fato de que o silêncio nesse momento é necessário e vital. Meu ódio a telefones é antigo,  odeio telefone tocando, odeio o fato de alguém querer falar em horas inapropriadas. Inapropriada, tá aí uma palavra que me descreve pra minha família,  ah céus o típico cliché de adolescente revoltada incompreendida pela família , a ovelha negra da casa!! Que saco desse roteiro. Mas não, não é assim aqui, porque pra começo nem ovelha negra sou, sou uma ovelha bem branca como todo o resto do rebanho, ou finjo ser. Sim, sou uma fingida,  na verdade é apenas uma fantasia de ovelha aqui que visto, e o que há debaixo dela? Que bicho? Não faço a menor ideia.
Eu sou assim, piso de mansinho, sigo as regras, e no fundo até medo tenho de me pegarem não as seguindo. Me contento com esse quarto,  essa mesinha que mal cabe minhas coisas mas o que cabe são coisas que são minha cara, a cara que ninguém vê porque tá escondida na fantasia de ovelha , a cara que nem o espelho do banheiro vê.
E eu assim, continuo fingindo e procrastinando e sempre colocando metas pra alcançar e ser "feliz" e sonhando e adiando tudo, até mesmo as cosas mais pequenas como a vontade de comer ou beber algo.
Essa sou eu: uma piada sem graça, um bicho debaixo da pele de uma ovelha branca.- sarah e.

You Might Also Like

0 comentários